Posso ter meu Bolsa Família cancelado?

Criado há mais de 16 anos, o bolsa família tem ajudado milhões de brasileiros em situação de pobreza. Através do benefício, pessoas carentes tem conseguido melhorar sua qualidade de vida significativamente.

No entanto, quem participa do programa social deve ficar atento aos requisitos que devem ser cumpridos. Caso contrária o beneficiário pode ter o bolsa família cancelado ou suspenso.

carteira vazia bolsa família cancelado

Neste artigo, abordamos as possibilidades que podem levar ao cancelamento ou suspensão do benefício. Continue lendo para saber o que deve ser feito para não correr o risco de ter o bolsa família cancelado.

Auditorias do Governo cancelam o benefício

Desde 2018, O Ministério da Transparência em parceria com a Corregedoria Geral da União tem realizados auditorias no cadastro do bolsa família. A intenção é procurar inconsistências cadastrais ou fraudes no Cadastro Único.

Como resultado, mais de 470 mil famílias tiveram o bolsa família cancelado. Além disso, outras milhares de famílias ficaram com o benefício bloqueado até que o recadastramento seja realizado.

Para isso, o Ministério tem utilizado uma nova metodologia de cruzamento de dados de vários órgãos com o Cadastro Único. A ideia do Governo é fazer com que os valores cheguem realmente às famílias que precisam, cancelando o bolsa família de quem prestou informações inverídicas ou desatualizadas.

Motivos para ter o Bolsa Família cancelado

Existem diversos motivos para ter o bolsa família cancelado. A maioria deles está relacionada à não observância dos requisitos.

dinheiro bolsa família cancelado

Para exemplificar, listamos os principais motivos que podem levar ao cancelamento do benefício. Confira abaixo.

  • Aumento da renda da família. Caso haja uma mudança nos rendimentos recebidos e eles ultrapassem o limite por pessoa que dá direito ao bolsa família, o benefício poderá ser cancelado;
  • Não realizar a atualização cadastral. É necessário atualizar os dados do Cadastro Único no mínimo à cada 2 anos. Quem não realizar esta atualização pode ter seu bolsa família cancelado;
  • Baixa frequência escolar. Quem possui filhos entre 16 e 17 anos deve comprovar frequência mínima de 85% no colégio. Já as crianças entre 6 e 15 anos precisam de uma frequência menor: 75%. Assim, quem não realizar esta comprovação periodicamente pode sofrer o cancelamento do benefício;
  • Não realizar o acompanhamento de saúde da Mulher. As mulheres entre 14 e 44 anos que não realizarem o acompanhamento de saúde obrigatório podem ter seu bolsa família cancelado. É necessário ir até a Unidade Básica de Saúde da sua região e realizar o acompanhamento conforme orientação;
  • Ser gestante e não realizar o pré-natal. As mulheres grávidas devem realizar o pré-natal conforme calendário do Ministério da Saúde. Caso contrário, o benefício do bolsa família para gestantes poderá ser cancelado;
  • Fornecer informações inverídicas. Quem preencher os dados do Cadastro Único com dados falsos ou desatualizados propositalmente terá o benefício cancelado. Vale lembrar que o Governo tem feito constantes pentes-finos em busca de irregularidades cadastrais.

Estes são os casos mais comuns que levam o Bolsa Família a ser cancelado. Além disso, quem já recebe o benefício deve sacar os valores em até 90 dias a partir do depósito, ou corre o risco de não ter mais valores depositados. Da mesma forma, O Ministério do Desenvolvimento Social pode não realizar mais pagamentos em contas não movimentadas há mais de 6 meses, por entender que o cidadão não precisa mais do benefício.

É possível desbloquear o benefício?

Quem teve o bolsa família cancelado pode recuperar os pagamentos, mas tudo depende da gravidade da situação. Cada caso é um caso, e o governo toma atitudes diferentes de acordo com o motivo que levou ao cancelamento.

Aperto de mao bolsa família cancelado

De modo geral, funciona assim: o Governo Federal tem uma lista de ações diferentes para cada situação de cancelamento. Para entendermos melhor, vamos ver cada uma e o que elas significam.

  • Suspensão: O governo chama de suspensão quando o bolsa família é apenas suspenso por 2 meses. É uma forma de penalidade à família por ter descumprido algum requisito. Passados os 2 meses, o bolsa família volta a ser depositado. No entanto, a família não pode mais receber os 2 meses que ficaram para trás;
  • Bloqueio: Neste caso, o saque do benefício fica bloqueado até que alguma irregularidade seja corrigida;
  • Cancelamento: É o caso mais grave, pois remove a família do Bolsa Família e impede que qualquer valor seja sacado. Além disso, impede a geração de outros benefícios.

Os Municípios tem autoridade de reverter o cancelamento em até 180 dias após o bolsa família ter sido cancelado. Após isso, a situação fica bem mais difícil, pois só o Ministério da Cidadania pode fazer a liberação.

Porém, casos de documentos e informações desatualizadas são mais simples de resolver. Essas situações geralmente são resolvidas com a apresentação de documentos e o valor é desbloqueado logo em seguida. Se você teve o seu bolsa família cancelado, faça os seguintes passos:

  • Primeiramente, é necessário atualizar o Cadastro Único. Dirija-se ao CRAS ou até a Prefeitura Municipal da sua cidade com sua documentação (CPF, RG, Certidão de Nascimento, carteira de vacinação e comprovante escolar dos filhos);
  • Em seguida, exponha a sua situação e peça esclarecimento sobre o porquê do benefício ter sido cancelado;
  • Siga as orientações que o funcionário lhe passar para conseguir reaver o benefício. Não esqueça de anotar tudo e estar sempre munido do seu número do NIS para agilizar as consultas.

Consultando a situação do benefício

Se você está com suspeitas de que teve o bolsa família cancelado, deve consultar primeiramente a situação do benefício. Isto pode ser feito pela internet da seguinte forma.

  • Acessa a página de consulta de benefícios sociais aqui;
  • Insira o CPF e o número do NIS do Responsável Familiar;
  • Em seguida, clique em consultar.

Aparecerá uma tela com os dados do responsável, cidade da família e a situação em que o benefício se encontra (liberado ou cancelado).

Além disso, é possível contatar a Caixa através do Atendimento Cidadão no número 0800 726 02 07.

Retorno garantido

Por um motivo ou outro, a família pode pedir voluntariamente para ser desligada do Bolsa Família. É o chamado “Desligamento Voluntário”. Geralmente, ele ocorre quando a família percebe que não cumpre mais algum requisito ou não irá conseguir cumpri-lo por um tempo.

Mas por que isto é feito? Principalmente para evitar ter o bolsa família cancelado, o que resultaria na exclusão do programa. Isto porque, quem solicitar por conta própria para se desligar poderá voltar a receber o benefício no futuro. Esta possibilidade é conhecida como “Retorno Garantido”. Neste caso, a família pode voltar a receber os valores em um prazo de até 36 meses após o desligamento do programa.


As ações do Governo buscando cancelar benefícios indevidos são muito importantes para que os valores cheguem realmente a quem precisa. O Bolsa Família é o principal programa social de distribuição de renda, e tem ajudado milhões de pessoas. Justamente por isso é necessário estar de olho para que não haja irregularidades que prejudiquem os pagamentos.

Visto isto, é fundamental que você fique de olho na sua situação para não ter o bolsa família cancelado. Mantenha seu cadastro sempre atualizado e procure o CRAS imediatamente quando notar alguma irregularidade em seus pagamentos. Esta é a melhor forma de evitar cancelamentos imprevistos.

De fato, para solucionar alguns casos basta ir até a Prefeitura assim que algum problema é notado e fazer uma simples atualização de cadastro.

Ficou com alguma dúvida? Deixe ela nos comentários e tentaremos lhe ajudar. Você também pode acessar o site oficial do programa clicando aqui.

Compartilhar é se importar!

Rolar para o topo