TUDO SOBRE O CADASTRO ÚNICO

As informações utilizadas para fazer a seleção das famílias do Programa Bolsa Família vem do banco de dados do Governo Federal, que utiliza os dados do Cadastro Único. Assim um dos pré-requisitos para receber o benefício é estar inscrito no Cadastro.

casal conferindo cadastro único

Mas não é só para o Bolsa Família que serve o Cadastro Único. Com ele, o cidadão pode receber diversos benefícios sociais federais, estaduais ou municipais.

Neste artigo você vai conhecer tudo sobre o Cadastro Único. Vamos aprender como ele funciona, o que você precisa para se cadastrar e tiraremos todas as suas dúvidas. Continue com a gente para saber mais!

O que é o Cadastro Único

formulario cadastro único

Chamado de Cadastro Único para Programa Sociais do Governo Federal, ou apenas de CadÚnico, ele nada mais é do que um formulário completo com todos os dados da família. Ele é utilizado não só para o Bolsa Família, mas também serve de base para todos os programas sociais do Governo Federal.

Criado em 2003, o Cadastro Único é hoje a ferramenta mais importante para acompanhamento das famílias em situação de vulnerabilidade social. A regulamentação do Cadastro foi realizada através do Decreto 6.135/2007, documento que confere legalidade à ferramenta.

Atualmente, ele é gerenciado pelo Ministério da Cidadania, órgão da esfera federal. Entretanto, o cadastramento é feito pelos Municípios, diretamente na Prefeitura ou através do CRAS.

O Cadastro Único reúne as principais informações do cidadão, tais como:

  • Nome completo;
  • Estado Civil
  • Renda mensal;
  • Situação no mercado de trabalho;
  • Nível escolar;
  • Outros dados da documentação.

Para que serve o Cadastro Único

O Cadastro Único serve para que o Governo Federal possa identificar e acompanhar as informações e os dados das famílias de baixa renda. Desta forma, é possível criar políticas públicas e ver quais os locais que mais necessitam dela, bem como conferir em quais bairros estão as famílias mais carentes.

Este conjunto de dados não é utilizado somente pelo Governo Federal: os Municípios e Estados também podem utilizar as informações para criar políticas públicas e benefícios sociais.

Uma das funções mais importantes do Cadastro Único é selecionar famílias para receber benefícios. Já falamos neste outro post aqui sobre como se cadastrar para receber o Bolsa Família. Entretanto, o CadÚnico é utilizado em muitos outros programas, tais como:

  • Programa Minha Casa Minha Vida;
  • Programa de Conservação Ambiental Bolsa Verde;
  • PETI – Programa de erradicação do trabalho infantil;
  • Programa de Fomento às Atividades Rurais;
  • Carteira do Idoso;
  • Programa Brasil carinhoso;
  • Aposentadoria de pessoas de baixa renda;
  • Telefone popular;
  • Programa de Cisternas;
  • Pro Jovem Adolescente;
  • Passe livre para as pessoas com deficiência;
  • Isenção na inscrição para concursos públicos;
  • Tarifa Social da Energia Elétrica;
  • Carta Social;
  • CNH Social.

É através do Cadastro Único que é possível saber quais as famílias que mais precisam de ajuda. Ele também possibilita ver quais pessoas precisam de atendimento prioritário pelos programas.

Além disso, os dados cadastrais são utilizadas em cruzamentos de informações com outros bancos de dados. Isso serve para verificar se os dados estão atualizados e se as famílias estão cumprindo as regras. Dessa forma, o Governo faz auditorias periódicas para cancelar benefícios por problemas cadastrais. Por isso, é muito importante ter o Cadastro Único sempre atualizado.

Saiba mais: Meu Bolsa Família foi cancelado, o que fazer?

Quem pode se cadastrar?

Como vimos, o Cadastro Único é voltado para mapear e selecionar famílias de baixa renda. Portanto, é necessário cumprir os seguintes requisitos para poder se cadastrar:

  • Fazer parte de um grupo familiar com renda mensal per capita de no máximo meio salário mínimo;
  • Possuir renda familiar de no máximo 3 salários mínimos (considerando todos os membros).

Como se cadastrar

Regularmente, os Assistentes Sociais municipais visitam as residências das pessoas de baixa renda para que elas sejam cadastradas. Dessa forma, todos os dados necessários são colhidos na visita, sendo que informações complementares podem ser levadas posteriormente ao CRAS.

arquivo cadastro único

As Prefeituras também costumam fazer eventos públicos municipais para cadastrar as famílias. Assim, os cidadãos interessados podem comparecer a essas ocasiões com sua documentação e se inscrever ali mesmo.

Entretanto, não é obrigatório aguardar uma visita ou um evento para isso: o cidadão pode fazer o Cadastro Único a qualquer momento. Para isso, basta procurar o CRAS da cidade ou ir até à Prefeitura e se informar sobre qual o órgão responsável pelo cadastramento.

Para realizar o Cadastramento, a família deverá escolher um Responsável Familiar. Ele deve ser obrigatoriamente um membro da família – de preferência uma mulher – com mais de 16 anos e que more na mesma casa. O Responsável tem as seguintes atribuições:

  • Realizar os saques dos benefícios;
  • Levar a documentação de todos os membros;
  • Manter o Cadastro Único sempre atualizado.

Documentos necessários para o Cadastro Único

Ao dirigir-se ao CRAS para fazer o cadastramento, são necessários alguns documentos de identificação dos familiares. Para o Responsável, é obrigatório o CPF ou o Título de Eleitor. Além disso, todas as pessoas da família devem apresentar ao menos um dos seguintes documentos:

documentos cadastro único
  • CPF;
  • RG;
  • CNH;
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • Certidão Administrativa de Nascimento de Indígena (RANI);

Atenção: para as famílias quilombolas ou indígenas, não é obrigatório que o Responsável Familiar leve o CPF.

Fora os documentos listados, recomenda-se que seja apresentado um comprovante de residência, preferencialmente uma conta de água ou luz. Da mesma maneira, deve-se apresentar o comprovante de renda das pessoas que tiverem.

A falta de algum documento de um dos membros não impede o cadastramento. De fato, muitas pessoas de baixa renda nunca foram registradas. Cabe o Assistente Social informar os meios para que a pessoa faça os documentos. Entretanto, se o Responsável Familiar não tiver a documentação mínima, a família não receberá benefícios enquanto ela não for entregue.

É importante lembrar que fazer o Cadastro Único não dá direito a receber nenhum benefício social. Ele é apenas uma base para que a família esteja apta aos processos de seleção. Se a intenção do cidadão é participar de um benefício, como o Programa Bolsa Família, ele deverá comunicar isto ao CRAS.

Atualização do Cadastro Único

Tão importante quanto se inscrever é manter o Cadastro Único atualizado. Portanto, o Responsável Familiar tem a obrigação de informar ao CRAS sempre houver alguma mudança na família, por exemplo:

  • Nascimento de filhos;
  • Mudança de endereço;
  • Mudança de emprego;
  • Aumento ou redução de renda;
  • Se alguma pessoa deixou de morar na mesma casa;
  • Se algum outro membro foi incluído na residência da família.

A atualização dos dados é importante para que o Governo possa seguir com o acompanhamento correto das famílias. Além disso, quem não atualizar o cadastro pode até perder seu benefício. No Bolsa Família, por exemplo, o beneficiário deve fazer a atualização no mínimo a cada 2 anos. Caso contrário, a família pode ter o benefício cancelado ou até ser excluída do programa.

O Governo, através do Ministério da Cidadania, vem fazendo auditorias periódicas atrás de problemas no Cadastro Único. Por isso, é de extrema importância manter os dados em dia para evitar transtornos.


O Cadastro Único é o primeiro passo para receber o Bolsa Família ou algum outro benefício social. De fato, todas as famílias de baixa renda devem se cadastrar. É com ele que o Governo acompanha a situação das famílias e direciona os esforços para a diminuição da fome e da pobreza.

Demais informações sobre o Cadastro Único podem ser consultadas no site oficial do programa aqui. Qualquer dúvida, deixe seu comentário e iremos lhe ajudar. Fique ligado em nosso blog para saber novidades sobre o Bolsa Família e outros programas sociais.

Compartilhar é se importar!

Rolar para o topo